Buscar

Resultados do concurso de escrita criativa “A Língua Portuguesa e Eu”

Celebrações do Dia Mundial da Língua Portuguesa


No âmbito das comemorações do dia 5 de maio, Dia Mundial da Língua Portuguesa, a Coordenação do Ensino Português na Alemanha, através dos seus professores e docentes de apoio pedagógico, desenvolveu um conjunto de atividades com o objetivo de promover e divulgar a língua portuguesa e as Culturas dos países da CPLP, entre as quais o concurso de escrita criativa “A Língua Portuguesa e EU”.


O concurso foi dirigido a jovens com idades compreendidas entre os 8 e os 18 anos de idade, divididos em três categorias: Categoria A – Grupo etário 8-10; Categoria B – Grupo etário 11-14 e Categoria C – Grupo etário 15-18.


Vencedores:

  • Categoria A – Marisa Lopes Domingues da Silva – curso de GlindE

  • Categoria B – Rodrigo Martins Rodrigues – curso de Pforzheim

  • Categoria C- Chantal Tjaben – curso de Bremen


Foi atribuída uma menção honrosa à aluna Lea Martha Gago Dill – do curso de Berlim.

Os vencedores receberão um cheque oferta de uma empresa na área da cultura e/ou tecnologias, no valor de 50 Euros.


A Coordenação do Ensino Português na Alemanha agradece a participação de todos e felicita os vencedores!


Categoria A – Marisa Lopes Domingues da Silva – curso de Glinde


Categoria B | Rodrigo M. Rodrigues | Curso de Pforzheim


Olá, eu sou um jovem ,natural aqui da alemanha ,mas filho de pais portugueses, gosto muito de viver aqui,mas adoro Portugal.


Adoro o cheiro do mar

e o céu lindo azulado.

Admiro os nossos castelos

e os nossos jardins decorados.

Sinto-me feliz, nas festas da aldeia

e a comer sardinha e alheira.

Adoro a comida portuguesa,

e o bacalhau, com mil formas de fazer

e o arroz de cabidela,

já me está a apetecer.

E para quem Portugal visitar,

os pasteis de nata tem de saborear.

Visitar a família ,sabe mesmo bem,

tenho lá os meus primos e tios também,

nao ter horas para deitar

nem tao pouco para levantar.

Correr,gritar,saltar,sabe tao bem,

os vizinhos nao se chatearem.

O amor dos meus avós

como é bom,sabe tao bem,

ouvir as suas histórias,

da sua vida além.

Portugal é um País tao lindo,

com tanto para conhecer,

as nossas ilhas também,

nao podemos esquecer.

Eu já fui à Madeira,

até o museu do Cristiano Ronaldo fui ver,

falta-me os Acores conhecer.

Quando lembro Portugal,

lembro sempre o seu calor,

por isso escrevo estas palavras

cheias de muito amor.

Ancioso por esta pandemia acabar,

para meu Portugal voltar abracar.

Vou duas vezes por ano,

ao meu país natal

pela páscoa e no verao,

e raremente lá vou no natal.

Como adoro o meu Portugal,

nao me canso da viagem,

2000 kilometros a percorrer.


Categoria C | Chantal Tjaben | Curso de Bremen


A língua portuguesa para mim significa várias coisas: amor e dor, família e alegria, orgulho e cultura.


Em primeiro lugar devo dizer que considero português a língua mais linda do mundo e todo o trabalho valeu completamente a pena, mas não vou mentir, não foi nada fácil.


Como filha duma imigrante portuguesa, a língua sempre fez grande parte da minha vida. Até aos seis anos, eu só conhecia algumas frases como “Chamo-me…” ou “Olá, como estás?” porque a minha mãe decidiu criar-me com a língua alemã e mais tarde quando ela queria ensinar-me a sua língua, eu não tinha a concentração suficiente para estudar e aprender o vocabulário, mas sempre quando a ouvi-a falar com a nossa família ou quando íamos a Portugal, eu nada mais queria do que aprender português.


Na escola primária toda a gente sabia que a minha mãe era portuguesa, então todos pensavam que eu sabia falar português, mas como eu não sabia quase nada, eu sentia-me como se não merecesse que me chamassem de portuguesa. Eu sempre tive muito orgulho dos meus traços portugueses, no entanto sentia-me muito insegura por causa disso e tive um tempo bastante duro em que eu fiquei muito desmotivada. Quando tinha seis anos a minha mãe inscreveu-me no curso de língua portuguesa e no início não entendia nada. Todas as outras crianças já falavam português e eu nem sequer podia ter uma conversa simples com os meus avós. A barreira linguística sempre me pareceu como uma grande parede entre mim e a minha família que era impossível de atravessar.


Em 2018, após sete anos, fomos a Portugal de novo, mas antes de irdecidi ainda estudar vendo séries, vídeos e lendo livros, pois pensavaque ia ser mais fácil falar com a minha família, mas não foi assim. Houve um momento em que a minha tia e a minha mãe discutiram sobre alguma coisa que tinha a ver comigo e eu não consegui dizer nada porque tive vergonha do meu sotaque. Depois dessas férias, eu comecei a estudar todos os dias e cada palavra e cada frase que eu ia percebendo, fazia-me ganhar cada vez maisconfiança. A cada conversa com a minha família sinto-a como uma recompensa pela dor dos últimos anos e cada vez que eu falo português sem erros eu sinto-me como parte de algo maior, sinto-me como parte da comunidade lusófona.

Esta língua maravilhosa une milhões de pessoas em todo o mundo e conta uma grandiosa história. Uma história de amor, dor, família, alegria e cultura e é por isso que tenho tanto orgulho em ser portuguesa e ser capaz de falar e entender esta bela língua.

5 visualizações