Buscar

Prémio literário recebe mais de meia centena de candidaturas

PTPost


A 3.ª edição do Prémio Imprensa Nacional/Ferreira de Castro, promovido pela INCM – Imprensa Nacional / Casa da Moeda e pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros e dirigido a portugueses e lusodescendentes a residir no estrangeiro, recebeu mais de meia centena de trabalhos (51 no total), oriundos de vários pontos do globo: Holanda, Inglaterra, França, Noruega, Alemanha, Suíça, Angola, Dinamarca, Bélgica, Canadá, Luxemburgo, Estados Unidos da América, Suécia, Áustria e Brasil.


Este resultado representa uma sólida adesão e interesse, expressos não só nos números, mas também na qualidade dos trabalhos rececionados.


A fase de candidaturas terminou no dia 30 de maio. Os candidatos concorrem a um prémio que contempla a edição e publicação da obra distinguida na coleção «Comunidades Portuguesas», da Imprensa Nacional, assim como a uma componente pecuniária de 5000 € (cinco mil euros).


Os trabalhos estão a ser apreciados pelo júri do Prémio, composto pelo académico Carlos Reis (que o preside), pela editora-chefe da Imprensa Nacional, Paula Mendes, e pela professora universitária Fátima Marinho. A decisão do júri será conhecida até 30 de setembro, no site da Imprensa Nacional e no Portal das Comunidades Portuguesas.

O Prémio Imprensa Nacional/Ferreira de Castro visa distinguir trabalhos inéditos de grande qualidade nos domínios da ficção e da poesia, procurando difundir o património cultural e artístico expresso em língua portuguesa, produzido por portugueses e lusodescendentes, residentes no estrangeiro, promover a língua portuguesa, assim como prestar às comunidades portuguesas dispersas pelo mundo o justo reconhecimento pelas atividades diversas que desenvolvem nos seus países de acolhimento.


O Prémio visa ainda prestar homenagem a Ferreira de Castro, uma figura de destaque na literatura portuguesa do século XX.


Nas edições anteriores, o Prémio Imprensa Nacional/Ferreira de Castro distinguiu as obras Não Viajarei por Nenhuma Espanha, do lusodescendente Marcus Quiroga Pereira (1954-2020), Uma Casa no Mundo, de Irene Marques, portuguesa a residir em Toronto (Canadá), e A Parte pelo todo (em publicação) de Mónica Auer, portuguesa a residir na Alemanha.


0 visualização