Buscar

Português - Língua Não Materna do #EstudoEmCasa na RTP Internacional

MNE confirma que RTP Internacional transmitirá aulas de Português — Língua Não Materna, para alunos do 1.º ao 9.º ano, aos fins-de-semana, às 7h30, entre 9 de Janeiro e o final do ano lectivo.



PTP / Lusa

Foto: Mirah Curzer, Unsplash

O Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) informou no passado dia 8 de Dezembro, em comunicado, que o Português — Língua Não Materna do #EstudoEmCasa para alunos do 1.º ao 9.º ano ira começar a ser transmitidos a partir do dia seguinte na RTP Internacional. Até então, os conteúdos dessa disciplina eram transmitidos na RTP Memória, à semelhança dos conteúdos de outras matérias.


Os blocos pedagógicos de Português — Língua Não Materna do #EstudoEmCasa, dirigidos aos alunos do 1.º ao 9.º ano de escolaridade, e produzidos no âmbito de uma colaboração entre a Direção-Geral da Educação e o Camões — Instituto da Cooperação e da Língua, serão transmitidos a partir deste sábado, 09 de janeiro, na RTP Internacional”, referiu a nota do MNE.


A disciplina de Português–Língua Não Materna constitui “um importante recurso de apoio para os alunos e docentes da Rede de Ensino Português no Estrangeiro e para a aprendizagem e consolidação da língua entre os portugueses e lusodescendentes que compõem a Diáspora portuguesa” sublinhou ainda a nota.

Assim, até ao final do ano lectivo, a RTP Internacional integrará este conteúdo na sua programação de fim de semana do #EstudoEmCasa, ferramenta educativa que resulta de uma parceria entre o Ministério da Educação e a RTP, com a colaboração da editora Leya e da Porto Editora.


A transmissão decorrerá às 7h30, hora alemã. Todos os conteúdos do #EstudoEmCasa estarão também disponíveis na RTP Play - https://www.rtp.pt/play/estudoemcasa/ -, na página electrónica da Direção-Geral da Educação e na aplicação #EstudoEmCasa.


O #EstudoEmCasa foi para o ar a 20 de abril, numa altura em que as escolas estavam encerradas e os alunos tinham aulas ‘online’, com o objetivo de servir como um recurso complementar e ajudar a minimizar as dificuldades de muitos estudantes no acesso ao ensino a distância.


O projecto retomou o conceito da Telescola, o sistema de ensino via televisão que vigorou em Portugal entre 1966 e 2004, tendo permitido expandir a cobertura do ensino a zonas rurais isoladas e lidar com a sobrelotação de escolas nas zonas suburbanas. O intuito foi o de garantir que os alunos cumprissem a escolaridade obrigatória, que no arranque do projecto era o 1º e 2º anos do Ciclo Preparatório (actuais 5.º e 6.º do Ensino Básico)


Em Abril, a estreia do #EstudoEmCasa teve um impacto enorme nas audiências da RTP Memória. A curiosidade pelas diferentes aulas apresentadas levou a que na semana de estreia a RTP Memória em televisão digital terrestre tenha crescido 107% em audiência média e em pay TV em mais 301% face à semana anterior. Contudo, em Setembro, o regresso às aulas pela televisão esteve longe de verificar os mesmos resultados. Nas 148 aulas emitidas desde Setembro, a média não ultrapassa os 0% de share e de ranking, com a aula mais vista contar com 16,8 mil espectadores. No dia 15 de Dezembro, por exemplo, as disciplinas Português Língua Não Materna, de Educação Artística, Educação Tecnológica e Francês – 3.º Ciclo não tiveram qualquer espectador detectado pelos audímetros da GfK/CAEM. Estes dados foram recolhidos pelo site espalhafactos.com e veiculados pelo canal de notícias da Sapo.


11 visualizações