Buscar

GRI-DPA reclama reestruturação da área consular de Estugarda

TPP

O GRI-DPA - Grupo de Reflexão e Intervenção da Diáspora Portuguesa da Alemanha – interpelou o Ministério dos Negócios Estrangeiros, através de carta, a propósito da estrutura consular actualmente vigente na Alemanha. Aludindo à rotação diplomática que terá lugar nos consulados de Hamburgo e Estugarda este ano, o presidente desta associação, Manuel Campos, propõe a reestruturação desta última, com a transformação do Escritório Consular de Hattersheim am Main em Consulado-Geral, assim como a abertura de, pelo menos, um Vice-Consulado em Munique.


No entender do signatário, as últimas eleições presidenciais evidenciaram constrangimentos na área consular de Estugarda, que “mostraram sobejamente a necessidade urgente de se fazerem ajustamentos urgentes, quer no nível diplomático de Frankfurt/Hattersheim e de Munique, quer nas estruturas e número de pessoal das localidades em causa”.


A reivindicação da transformação do Escritório Consular de Hattersheim am Main em Consulado-Geral, que cobriria a área geográfica de três estados federados alemães – Hesse, Renânia-Palatinado e Sarre, será mesmo apoiada pelas autoridades alemãs, afirmando Manuel Campos que “temos conhecimento de que os próprios responsáveis políticos do Estado de Hesse solicitaram já a Portugal a substituição do Escritório Consular de Hattersheim por um Consulado-Geral, tal o valor que atribuem a Portugal e à sua Comunidade”. Ademais, refere que “o valor político, económico, financeiro e cultural de Frankfurt aumentou fortemente, após a saída do Reino Unido da União Europeia”.


No que respeita a Munique, o GRI-DPA fundamenta o pedido de abertura de, pelo menos, um Vice-Consulado, na dimensão e na relevância económica de ambos os estados federados de Baden-Württemberg e Baviera. Mencionando o número de jovens portugueses a trabalhar em Startups, que aponta representar 39% das empresas internacionais na Alemanha, em áreas da economia de futuro como Tecnologia-IT, “Life Sciences”, Mobilidade, Energia e Alimentação, entende que Portugal deverá estar representado na capital da Baviera para que “não perca o “comboio” da modernização, do desenvolvimento, da possibilidade de novos empregos e em novas tecnologias, de trocas científicas, da aquisição de novos conhecimentos, de novos negócios e de reforço do relacionamento internacional”.


Publicamos a missiva do GRI-DPA para que seja do conhecimento de todos:


Reflexão e Proposta do GRI-DPA ao MNE para bem da Comunidade na Alemanha e para bem de Portugal


Segundo informação do GRI-DPA, no decurso deste ano de 2021 deverão ser realizadas substituições nos cargos dos responsáveis pelos Consulados de Hamburgo e de Estugarda.

Lembramos que, no caso deste último Consulado, a responsabilidade da/o Diplomata se alastra também ao Escritório Consular de Frankfurt/Hattersheim e Antena Consular de Munique.


O decurso e as circunstâncias registadas nas últimas eleições presidenciais nesta zona geográfica consular mostraram sobejamente a necessidade urgente de se fazerem ajustamentos urgentes, quer no nível diplomático de Frankfurt/Hattersheim e de Munique, quer nas estruturas e número de pessoal das localidades em causa.


Já trocámos argumentos suficientes para fundamentar a urgente necessidade da criação de um Consulado-Geral de Portugal em Frankfurt - em substituição do atual Escritório Consular - para uma área geográfica que engloba três Estados Federados da Alemanha: Hesse, Sarre e Renânia Palatinado.


Temos também conhecimento de que os próprios responsáveis políticos do Estado de Hesse solicitaram já a Portugal a substituição do Escritório Consular de Hattersheim por um Consulado-Geral, tal o valor que atribuem a Portugal e à sua Comunidade.


Sublinhamos que o valor político, económico, financeiro e cultural de Frankfurt aumentou fortemente, após a saída do Reino Unido da União Europeia.


Neste contexto chamamos também a atenção para a Cidade/Região de Munique, servida pelo Consulado de Estugarda, através de uma Antena Consular.


Para além das enormes distâncias e dificuldades de organização, por se tratar de dois grandes Estados Federados - Baden-Württemberg e Baviera - gostaríamos de sublinhar também aqui o enorme significado dos dois Estados, quer sob o ponto de vista empresarial, moderna tecnologia, grandes empresas e de negócios. Além disso, adquire cada vez mais importância o número e a existência de jovens portugueses em empresas internacionais, bem como Startups (39% da Alemanha). Destes, já foram registados mais de 1300 ativos, um quarto deles nos sectores de Tecnologia-IT, bem como também nos sectores de “Life Sciences”, Mobilidade, Energia e Alimentação, segundo uma análise da organização “Branchendienst Startupdetector”.


Para que Portugal não perca o “comboio” da modernização, do desenvolvimento, da possibilidade de novos empregos e em novas tecnologias, de trocas científicas, da aquisição de novos conhecimentos, de novos negócios e de reforço do relacionamento internacional, achamos urgente que Portugal deve estar representado em Munique, no mínimo através de um Vice-Consulado, como ponte entre as duas partes e como local de acesso dos cidadãos portugueses da região.


Assim, o GRI-DPA considera esta época de mudanças e substituições diplomáticas uma oportunidade única, solicitando que sejam acompanhadas também destas reestruturações urgentemente necessárias, aqui expostas.

81 visualizações