Buscar

Escultura em fruta tem origem milenar

Atualizado: Set 17

António Horta

Basta uma pequena faca afiada na mão de Paulo Macedo para transformar uma peça de fruta ou legume numa obra de arte. Paulo Macedo nasceu em Gondomar - Guimarães e é um artista da chamada Arte Efémera. Vive desde o ano 1999 na cidade de Pinneberg, na Alemanha, onde é proprietário de um Snack-Bar – Pastelaria.

A Arte Efémera é uma forma arte que dura apenas um curto período, é uma arte passageira: são obras feitas, por exemplo em gelo, em areia ou, neste caso, em frutas e legumes. Como tal, são perecíveis e expressões artísticas que não podem ser exibidas por tempo indefinido num museu ou galeria, como qualquer outro objeto de madeira, pedra ou metal. Esta forma de esculpir frutas e legumes, conhecida também por Fruit Sculpture ou técnica Carving.


É uma arte milenar, oriunda da antiga China, onde começou há cerca de dois mil anos. Esta arte era muito usada, para decorar espaços onde um grande número de pessoas se encontrava para comprar ou degustar os seus alimentos, mas também em celebrações ou rituais. A meio do século XII os tailandeses descobriram esta arte e levaram-na para o seu país, onde hoje existem grandes artistas. Reza uma lenda que uma princesa tailandesa usou essa técnica para esculpir vegetais, os quais foram apresentadas num festejo da corte: o rei maravilhado com tamanha obra de arte, ordenou que os nobres desenvolvessem essa prática. No início do século XX esta obra tornou-se popular em outras partes do mundo incluindo a Europa, onde hoje integra os cursos de gastronomia. A investigação sobre estas obras, como é óbvio, torna-se muito difícil havendo, ainda assim, alguns registos históricos.



Existe alguma diferença nas peças executadas, por artistas chineses e tailandeses. Na China. as figuras esculpidas nas frutas retratam mais histórias e lendas chinesas, como o dragão e guerreiros, enquanto na Tailândia as obras de arte estão mais orientadas à natureza, com paisagens, flores e figuras espirituais da tradição Budista a embelezar as frutas.



Paulo Macedo descobriu esta arte para ele nos inícios de 90 e tem vindo a aperfeiçoá-la continuamente, modelando imensos quilos de frutas e legumes, dizendo que esta arte necessita de muitas horas de prática: basta um corte mal dado numa peça para estragar horas de trabalho. Hoje já existem no mercado vários tipos de ferramentas que auxiliam o escultor a dar acabamento mais rápido, no entanto a ferramenta clássica é apenas uma faca bem afiada. Para finalizar uma peça como, por exemplo, numa melancia, Paulo Macedo necessita, em média, de 3 a 4 horas para a modelar.


As suas peças são expostas na própria Pastelaria em Pinneberg, na Elmshornerstr. 82, assim como em casamentos, para os quais já tem feito várias peças. Frisa, contudo, que não aceita muito trabalho, dado serem coisas que demoram muito tempo e depressa perdem a forma e se deterioram.


13 visualizações

fale connosco

macanita_500x170.jpg

publicidade

website design