Buscar

Do vinil às vacinas, agentes culturais de Berlim acertam agulhas na luta contra a pandemia

Lusa


Praticamente sem trabalho desde abril do ano passado, a dj e produtora musical Eva Be decidiu aceitar a proposta de trabalho num centro de vacinação de Berlim, ao lado de outros colegas do setor cultural.


“No início da pandemia aproveitei um pouco o silêncio e o desconectar de tudo. Passei muito tempo em casa e dediquei-me bastante à família. Mas não fazia ideia de que a situação se iria arrastar de uma forma tão dramática”, conta Eva Be à agência Lusa.


Berlim, considerada cidade de passagem obrigatória para os fãs da música eletrónica, viu os seus clubes fecharem logo no início do primeiro confinamento. Com muito poucas exceções, como o famoso Berghain, que se transformou em centro de exposições, os cerca de 200 espaços ainda não voltaram a abrir as portas.


“No verão de 2020 ainda se conseguiu passar música ao ar livre. Isso fez-me sentir um pouco mais positiva e pensei que tudo iria melhorar, mas não foi assim. Agora tenho muitas saudades, mas, ao mesmo tempo, não consigo imaginar como seria voltar”, confessou.


Eva Be recebeu o convite, tal como outros profissionais do setor, para trabalhar num centro de vacinação, podendo dessa forma ganhar algum dinheiro e ajudar no combate à pandemia de covid-19.


“Muitos aceitaram com gratidão, como eu”, confessa, “rapidamente foi-se espalhando a mensagem entre os dj de que este era um trabalho bom e divertido”.


“Queria estar muito ocupada e fazer algo que pudesse ajudar a ultrapassar a pandemia. Também precisava novamente do contacto social, e como conheço muitos dos que trabalham comigo, foi juntar o útil ao agradável”, destaca.


Entre as tarefas de Eva Be, que trabalha no centro de vacinação de Tegel, no antigo aeroporto, estão a inscrição de quem chega, a orientação até ao posto de vacinação ou o acompanhamento pós-vacina.


Na Alemanha 1,1 milhão de pessoas foram vacinadas na quarta-feira, e quase 920 mil na quinta-feira. Esta semana, pela primeira vez, mais de um por cento da população foi vacinada num único dia.


Isso significa que mais de um em cada quatro residentes na Alemanha, cerca de 26,9%, já recebeu pelo menos uma primeira dose da vacina.


2 visualizações