Buscar

Berta Nunes enaltece o valor da diáspora portuguesa no mundo

Mensagem da Secretária de Estado das Comunidades Portuguesas por ocasião do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas.


PT Post

Na tradicional mensagem do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, a Secretária de Estado das Comunidades, Berta Nunes, relembrou que “onde está um português está Portugal”, levando a que as efemérides de 10 de Junho celebrem “Portugal no Mundo, nos 5 continentes e em mais de 100 países”. A responsável no governo pelas políticas para as comunidades portuguesas ilustrou-o, indo aos Estados Unidos da América onde se juntou a “a uma festa que acontece pelo mundo inteiro e que tem os portugueses, em particular aqueles que residem no estrangeiro, como seus protagonistas e grandes dinamizadores”.


Berta Nunes aproveitou a sua comunicação para lembrar as primeiras gerações de emigrantes, que partiram para o mundo “em busca de uma vida melhor”, assim como “os seus filhos e netos ou tantos jovens graduados e pós-graduados portugueses que vivem hoje em mobilidade Constante”. “Com todos eles, que hoje celebramos, deve existir um diálogo permanente, quotidiano, olhando para o futuro sem esquecer o passado”, avança e que entende dever ser conduzido “preservando a memória através da museologia, da literatura ou das tradições que o movimento associativo mantém vivas; criando e reforçando as redes científicas, culturais, económicas e sociais entre o país e a diáspora; prestando serviços de qualidade nos postos consulares no estrangeiro; e reforçando os vínculos que ligam portugueses e lusodescendentes ao país, através do ensino da língua portuguesa, da ação cultural externa, do incentivo ao investimento e do apoio ao movimento associativo”.


A Secretária de Estado das Comunidades prossegue a reflexão, diagnosticando a diáspora portuguesa como “um importante ativo estratégico do nosso país”, que entende ter “a particularidade de nos levar ao mundo devolvendo-nos a Portugal, fazendo-nos avançar sem deixarmos, contudo, de refletir sobre o país que somos”.


Berta Nunes não deixa de manifestar a satisfação por poder regressar às visitas às comunidades e à oportunidade que oferecem de “ouvir as suas histórias, conhecer os seus feitos, o seu dia-a-dia e, uma vez mais, ver a sua capacidade de resiliência e a sua coragem”. Estas características que identifica foram de sobremaneira evidentes nos tempos pandémicos, evidentes “no esforço que fizeram para manter a distância aos amigos e familiares que os esperavam em Portugal, no exemplo que deram de entreajuda e solidariedade nos países de acolhimento; e no facto de termos tantas e tantos portugueses notáveis, que estiveram e estão na linha da frente do combate a pandemia e que hoje saudamos em particular: médicos, enfermeiros, investigadores, alguns deles com importantes contributos para desenvolvimentos das vacinas contra a Covid19, auxiliares de saúde e todos os que contribuíram para combater esta situação que ainda nos afeta, mas que esperamos que progressivamente possamos ultrapassar e retomar a normalidade”.


A governante conclui com o convite que celebremos no 10 de Junho “as comunidades portuguesas e a língua de Camões, sem as quais não saberíamos o que é Portugal ou ser português no mundo”.



1 visualização