Buscar

Associação Portuguesa de Krefeld resiste

António Horta

A associação Portuguesa de Krefeld, situada na Jägersts. Nr.19, é a associação mais antiga na Renânia do Norte de Vestefália: foi fundada a 19 de Outubro de 1966. Hoje, passados 56 anos, conta com 85 sócios, sobrevivendo com dificuldade à pandemia.


Continua novamente bem ativa, com uma direção formada por seis elementos, dos quais três são curiosamente da mesma família: a mãe, o pai e o filho. A Sra. Ana Maria F. P. Teixeira oriunda de Braga é a atual presidente, sendo a primeira mulher a ocupar o cargo desde 2018. O Sr. Augusto Teixeira, natural de Martinlongo, uma freguesia de Alcoutim no Algarve, é o tesoureiro de longa data e, por fim, o Fábio Rodrigues Teixeira, nascido em Krefeld, é o vice-Presidente.

O Fábio Teixeira, um jovem de 27 anos, estudante e bem dinâmico no serviço à associação, diz-nos que foi criado praticamente dentro das paredes desta coletividade, onde com os seus 14 anos começou a dar a sua ajuda, lavando um ou outro copo ao balcão do bar. Hoje, passado mais de uma década, continua à frente do balcão e contou-nos um pouco da história da Associação.


Em tempos de glória houve nesta associação, como em quase todas as associações portuguesas, uma equipa de Futebol – os “FC Portugueses de Krefeld“ – e o Rancho Folclórico os „Lusos de Krefeld“. Hoje apenas restam memórias expostas em forma de fotografias e troféus conquistados nos vários torneios e festivais de ambas as atividades. A última a extinguir-se foi a equipa de futebol em 2014. Nas paredes da Associação pode ver-se ainda uma placa com o nome dos jogadores.



A Associação está aberta diariamente e é uma „dica secreta „ entre os alemães de Krefeld como sendo o lugar onde se come o melhor camarão frito na cidade, além de serem servidas várias refeições e petiscos bem portugueses e onde não falta a típica cerveja portuguesa, o bom vinho, o bom cafézinho torrado no Alentejo e os vários licores e aguardentes lusas.


Grande parte dos clientes são alemães que apreciam a cozinha portuguesa, o convívio e, por fim, também o preço muito acessível da ementa.


Hoje em dia os festejos estão reduzidos apenas a quatro festas anuais: Carnaval, Páscoa, S.Martinho e Natal onde se junta a comunidade portuguesa


A pandemia quase que levou a Associação ao encerramento, não tivesse sido a ajuda do proprietário das instalações, que baixou significativamente a renda mensal do espaço, assim como a grande ajuda da empresa de Eletricidade SWK Strom Krefeld. Não tivessem sido estes apoios privados, a associação teria encerrado as portas, visto não ter recebido ajudas estatais.


Fábio Teixeira, olha com optimismo para o futuro e diz continuar ativo naquele cantinho bem português onde tem passado parte da sua juventude. Um jovem português com garra! – talvez se outros jovens seguissem este exemplo, pudesse ter-se evitado ou evitar ainda, numa ou noutra cidade, o encerramento de algumas associações portuguesas na Alemanha.

288 visualizações