Tertúlias regressam sexta-feira ao Martinho da Arcada, em Lisboa, com Eunice Muñoz

A atriz Eunice Muñoz inaugura na sexta-feira o ciclo de jantares-tertúlia “Rostos da Portugalidade”, no café Martinho da Arcada, em Lisboa, que até ao início de abril recebe figuras destacadas da cultura, política e sociedade portuguesa.

De acordo com o escritor Luís Machado, que organizou o ciclo de tertúlias, Eunice Muñoz é homenageada por ser “incontestavelmente uma das grandes referências da cena portuguesa, com uma invejável e brilhante carreira de atriz, que acaba de completar 75 anos de palco”.

O próximo convidado é Diogo Freitas do Amaral, a 03 de fevereiro, segue-se Cruzeiro Seixas a 17, Manuel Alegre, a 03 de março, e Elisabete Matos, a 17 de março.

As tertúlias terminam a 04 de abril, com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

“Todas estas figuras, no fundo, também são merecidas homenagens, porque ao longo dos seus percursos, uns mais curtos, outros mas longos, se destacaram pelos contributos que deram à nossa vida cultural, política e social e, nalguns casos, até ultrapassaram fronteiras e foram embaixadores da cultura portuguesa no mundo”, disse, à Lusa, Luís Machado.

A iniciativa “Rostos da Portugalidade” vem dar continuidade a iniciativas culturais que Martinho da Arcada tem desenvolvido desde 1991.

As sessões têm início às 19:30, no Café Martinho da Arcada, Praça do Comércio, em Lisboa, com marcação prévia pelo número 218879259, e têm o custo de 20 euros, com jantar.

O café Martinho da Arcada foi inaugurado oficialmente a 07 de janeiro de 1782 e é o mais antigo de Lisboa, tendo um percurso ligado à literatura, tendo sido frequentado por políticos, escritores e intelectuais, entre os quais Fernando Pessoa.

Eunice Muñoz nasceu em 1928 em Amareleja, oriunda de uma família de artistas e pisou o palco pela primeira vez aos cinco anos.

Em 1941 estreou-se como atriz no Teatro Nacional D. Maria II, na peça "Vendaval", enquanto frequenta a escola de teatro do Conservatório Nacional, onde conclui o respetivo curso de teatro com a classificação de 18 valores.

A atriz fez cinema, televisão e rádio e evidenciou-se no teatro, destacando-se (entre muitas outras) as peças "Joana D'Arc", "O Milagre de Ana Sullivan", "A Casa de Bernarda Alba", "Fedra", "As Raposas", "Verão e Fumo", "As Criadas", "Zerlina", "Mãe Coragem" e "O Comboio da Madrugada".
Lusa