Campanha eleitoral - O embuste 

O que parece contar hoje em dia na democracia é a capacidade económica para se pagar a agências de comunicação. De facto, deixaram de se discutir ideologias, opções políticas – nesta campanha eleitoral quase não se abordaram os constrangimentos do tratado orçamental, a questão da dívida, a justiça, a falência do sistema de saúde ou a qualidade da escola pública - passando a campanha a incidir sobre fait divers – veja-se o ruído à volta do cartazes do PS ou a discussão sobre quem realmente trouxe a troika para Portugal – ou sobre o passado. É a eficácia das mensagens simples, repetidas até à exaustão que mais parece influenciar a tendência de voto dos eleitores, mesmo que sejam pura e simplesmente mentiras. O descaramento atingiu nesta campanha níveis inenarráveis quando, por exemplo, a coligação de Passos e Portas que só não cortarem de forma definitiva pensões de mil euros porque o tribunal constitucional não o permitiu, se apresentam ao eleitorado como os verdadeiros defensores das pensões dos portugueses.

 

O embuste aumenta quando pensamos nas sondagens que diariamente são publicadas com amostras reduzidas e em que as pessoas são entrevistadas através de telefones fixos – que são quase uma antiguidade. Os procedimentos técnicos e as fragilidades da amostra não são explicadas e os resultados são vendidos como significativas tendências de voto. O logro continua com a cobertura tendenciosas da comunicação social, nomeadamente das televisões, quer em termos dos tempos de reportagem atribuídos aos diferentes partidos - com evidente vantagem para a coligação PSD/ CDS – quer pela forma como são evidenciadas as mensagens dos diferentes partidos pelos comentadores políticos - sempre os mesmos e alinhados quase sempre com a direita. Na maior parte das democracias os jornais e televisões assumem-se alinhados com uma determinada orientação política, mas em Portugal a dita objectividade dos meios de comunicação social é mais uma das mentira a juntar a tantas outras.

 

Ana Cristina Silva