Campanha para o Conselho das Comunidades na Alemanha com críticas dos candidatos

Os candidatos às eleições para o Conselho das Comunidades Portuguesas (CCP) na Alemanha consideram que a campanha tem sido muito afetada pelas férias dos emigrantes lusos e dos próprios candidatos, estando a decorrer maioritariamente nas redes sociais.

Para Alfredo Stoffel, cabeça-de-lista da "Voz da Comunidade, a escolha da data, 06 de setembro, "tem a ver com o quadro das eleições em Portugal em outubro" e "mostra a importância que a tutela dá ao Conselho".

O dirigente que se recandidata ao CCP pelo norte da Alemanha afirmou à Lusa que o órgão "representa a comunidade portuguesa sem a pressão dos partidos políticos" e deve ser visto como um parceiro da tutela.

Uma das prioridades da lista liderada por Alfredo Stoffel, atual conselheiro, é sensibilizar o governo da república para o problema da dupla tributação que os emigrantes portugueses enfrentam no regresso a casa. O candidato lamenta que a tutela dê "mais valor aos estrangeiros que escolhem Portugal para gozar a reforma, do que aos próprios emigrantes portugueses".

Luís de Freitas encabeça a lista "Comunidade com Valor" pelo sul da Alemanha e foi "apanhado de surpresa" pela data "contra produtiva" das eleições, mas tem tentado fazer algumas deslocações a associações, mesmo em tempo de férias.

O dirigente diz que um dos objetivos da lista que se candidata pela área consular de Estugarda é "reforçar a atividade consular" na Alemanha.

Luís de Freitas, gerente bancário em Frankfurt, quer ainda desenvolver projetos a nível cultural "aos quais coletividades e agrupamentos se possam candidatar, apresentando um projecto e tendo uma espécie de incentivo monetário".

O líder da lista "Comunidade Solidária" e ex-conselheiro, Nelson Rodrigues, quer apostar na área económica e nos empresários lusos a viver em território germânico de forma a multiplicar "a comercialização de produtos portugueses na Alemanha".

Já na área social, o candidato pelo círculo eleitoral do norte do país, quer reforçar o apoio ao "grande número de portugueses a chegar à Alemanha" e lamenta que muitos não estejam a receber "a atenção devida por parte do estado português, nem pelo estado alemão".

A lista "Entre Gerações" também se candidata pela área consular de Berlim, Hamburgo e Düsseldorf e pretende revitalizar o ensino da língua portuguesa entre luso-descendentes, mas também entre a comunidade alemã. O dirigente da lista, Manuel Machado, pretende "incluir o português no sistema de ensino alemão como língua estrangeira" e acredita que o português pode ser útil a "empresários alemães com negócios no Brasil", argumentou.

Manuel Machado, que também integra o conselho pastoral da Missão Católica Portuguesa de Colónia, quer reforçar o papel das missões na Alemanha que dão um apoio "importante" aos emigrantes recém-chegados "com problemas financeiros mas também sociais".

A lista "Comunidade em Movimento", que se candidata ao CCP pelo sul da Alemanha, tenciona promover um acordo bilateral de formação profissional e de "incentivo aos estágios profissionais em Portugal".

O cabeça-de-lista, José Loureiro, elemento ligado ao movimento associativo, ambiciona incentivar a participação cívica e política dos portugueses residentes na Alemanha porque "quantas mais pessoas estiverem recenseadas no consulado, mais impacto tem a comunidade portuguesa no estrangeiro".

A campanha eleitoral decorre até 04 de setembro, seguindo-se as eleições a 06, que vão eleger quatro conselheiros na Alemanha, num total de 80 a nível mundial.

O CCP é um órgão consultivo pelo Governo da República relativamente a assuntos que digam respeito às comunidades portuguesas no estrangeiro.

De acordo com os dados oficiais do Instituto Federal de Estatística da Alemanha, cerca de 130 mil portugueses residiam no país em 2014, mas apenas os cidadãos lusos recenseados nos respetivos postos consulares podem votar para eleger os conselheiros.

Lusa