Sinagoga portuguesa em Amsterdão nomeada para Prémio Museu Europeu do Ano 2015

A sinagoga portuguesa de Amsterdão, na Holanda, construída no século XVII, está entre os 42 nomeados para o Prémio Museu Europeu do Ano 2015, organizado pelo Fórum Europeu de Museus do Conselho da Europa.

De acordo com a informação do sítio do Fórum na Internet, foram recebidas candidaturas de 21 países, membros do Concelho da Europa e, do conjunto de propostas, o júri selecionou 42 nomeados.

O Prémio Museu Europeu do Ano (European Museum of the Year Award - EMYA, na sigla original) é anualmente atribuído na assembleia geral anual do Fórum Europeu de Museus, que em 2015 decorrerá em maio, no Reino Unido.

Entre os nomeados para o próximo ano está a sinagoga portuguesa e respetiva Biblioteca Ets Haim, localizadas no centro histórico da capital holandesa, construída pela Congregação Portuguesa Israelita de Amesterdão, composta por judeus de origem sefardita.

O edifício foi projetado pelo arquiteto holandês Elias Bouman e a sinagoga foi inaugurada em agosto de 1675.

Na época, a Holanda foi um dos países onde se refugiram famílias de ascendência judaica fugidas de Portugal devido à perseguição da Igreja Católica, que pretendia convertê-los à força em "cristãos-novos".

A sinagoga portuguesa, uma das mais antigas do mundo, resistiu à Segunda Guerra Mundial, devido à intervenção do Governo holandês, que a classificou como monumento nacional quando o conflito estava prestes a deflagrar.

Entre os nomeados para Prémio Museu Europeu do Ano 2015 estão também o Museu Vorarlberg (Áustria), a Torre Maiden (Azerbaijão), o Museu Marítimo Dinamarquês (Dinamarca), o Museu Forssa (Finlândia), O Museu das Civilizações Mediterrânicas Europeias (França), o Museu Kaufbeuren (Alemanha), o Museu Bizantino e Cristão (Grécia), o Vinseum - Culturas Vinícolas da Catalunha (Espanha), o Museu Watch – Joux Valley (Suíça), o Museu Arqueológico de Aydin (Turquia) e o Museu Nacional do Futebol (Reino Unido).

Este ano, o Museu da Inocência, em Istambul, na Turquia, foi o vencedor, entre 37 nomeados, grupo em que se encontravam dois museus portugueses: o Museu dos Transportes e Comunicações, no Porto, e o da Baleia, na Madeira.

Contactado pela agência Lusa sobre as candidaturas nacionais, João Neto, diretor do Museu da Farmácia (Lisboa), que representa Portugal no Forum, em conjunto com Maria José Santos, diretora do Museu Municipal de Penafiel, indicou que este ano não houve qualquer candidatura do país.

"É com tristeza que soubemos não existir este ano nenhuma candidatura de Portugal, mas não é certamente por falta de qualidade, mas talvez devido à crise económica", lamentou, apontando que a proposta tem de surgir da própria entidade, e a inscrição é paga.

Em 2013, o Museu Machado de Castro, em Coimbra, e o Museu da Comunidade da Concelhia da Batalha foram finalistas ao Prémio Museu Europeu do Ano, tendo o segundo conquistado o Prémio Kenneth Hudson do Fórum Europeu dos Museus.

Criado em 1977 pelo Conselho da Europa, o Fórum Europeu dos Museus é uma organização transnacional que realiza várias iniciativas para melhorar a qualidade dos museus europeus.

 

AG // MAG

 

Lusa/Fim