“Media” portugueses espalhados pelo mundo unem-se para partilhar conteúdos

A Plataforma, uma associação de órgãos de comunicação social portugueses no estrageiro, vai servir para “partilhar experiências e conteúdos”, disse hoje à agência Lusa Carlos Pereira, cofundador da associação.

"Existem jornais, revistas, rádios e televisões e não existe nenhum órgão federador. O objetivo número um é federar para partilhar experiências e conteúdos - o que se vai fazendo a nível pontual entre um e outro e é possível alargar isto ao nível mundial", explicou Carlos Pereira, diretor e fundador do semanário Lusojornal em França.

 

 A associação foi criada a 26 de julho no Luxemburgo e tem entre os fundados o "LusoJornal" (França), o "Jornal Tribuna de Macau" (Macau), a "Gazeta Lusófona" (Suíça), o "Portugal Post" (Alemanha), a "Rádio WJFD" (Estados Unidos), o "Mundo Lusíada" (Brasil), a "TV Portuguesa Montreal" (Canadá), "O Século" (África do Sul), "Bom dia" (Luxemburgo), "As Notícias" (Reino Unido), "Decisão" (Luxemburgo) e "Luso Americano"( Estados Unidos).

 

 "Nesta fase, os membros fundadores vêm dos quatro cantos do mundo da Europa, de Macau, do Canadá, dos Estados Unidos, do Brasil, da África do Sul. Tentamos, nesta primeira fase, ter elementos de vários continentes e de várias áreas da comunicação - televisão, jornais, revistas, rádios, portais internet - e também ter homens e mulheres", continuou Carlos Pereira.

 

 Além de uma plataforma eletrónica para partilha de conteúdos, a missão da Plataforma passa por dar maior visibilidade aos "media" portugueses do estrangeiro até porque "quando se fazem campanhas de informação em Portugal, por exemplo nas eleições portuguesas ou europeias, nunca se utilizam os nossos órgãos para informar os portugueses de fora do que é necessário ir votar também".

 

 A associação, que vai ter sede em Lisboa, pretende apresentar os diferentes órgãos de comunicação social portugueses espalhados pelo mundo às agências de meios em Portugal "para lhes mostrar que há portugueses fora de Portugal que poderiam estar interessados por anúncios dos clientes deles", conclui o jornalista de 49 anos, a viver há 30 em França.

 

 "A ideia é antiga", admitiu, lembrando que em Macau foi criada, há mais de dez anos, uma associação internacional de jornalistas "que acabou por nunca ter sido oficializada" e que "o Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas já tentou várias vezes ao organizar encontros mundiais de jornalistas ou de responsáveis de órgãos de comunicação social, motivando-os a organizarem-se".

 

 Reagindo à criação da Plataforma, o Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Cesário, escreveu, ontem, na sua página Facebook: "Este é um dos mais importantes momentos de sempre para as nossas Comunidades. Bato-me pela criação de uma associação deste tipo há muitos anos. Contarão com todo o apoio possível da nossa parte. Os meus parabéns a todos os que se envolveram."

 Lusa