Mais de 180 obras portuguesas apoiadas em 2013 para publicação no estrangeiro

Mais de 180 obras literárias portuguesas foram apoiadas em 2013 para edição no mercado estrangeiro, no âmbito de programas de apoio à internacionalização, revelou a Direção-Geral do Livro, Arquivos e Bibliotecas (DGLAB).

Estes programas destinam-se, por exemplo, a apoiar a edição de literatura portuguesa no Brasil, a incentivar editores estrangeiros a traduzirem e publicarem obras nacionais, em particular obras para a infância e juventude e banda desenhada.

Segundo dados da DGLAB, em 2013 aqueles programas abrangeram 185 obras em língua portuguesa, a maioria de Portugal, como "O murmúrio do mundo", de Almeida Faria, autor em estreia no mercado brasileiro, pela Tinta da China Brasil, e "Os passos em volta", de Herberto Helder, traduzido para francês para a editora Chandeigne.

A presença de Portugal como país convidado da Feira do Livro de Bogotá, em 2013, resultou no projeto de tradução e lançamento de cerca de 30 obras de literatura como "Irmão Lobo", de Carla Maia de Almeida, "A contradição humana", de Afonso Cruz, e "Como tu", de Ana Luísa Amaral.

"O teu rosto será o último", romance de estreia de João Ricardo Pedro, Prémio Leya 2011, é editado na Alemanha, Holanda e França, enquanto "Retorno", de Dulce Maria Cardoso, conta com edição na Albânia e "Depois de morrer aconteceram-me muitas coisas", de Ricardo Adolfo, sai na Suécia.

Destaque ainda para a presença de "Amor de perdição", de Camilo Castelo Branco, "O vale da paixão", de Lídia Jorge, e "O banqueiro anarquista e outras histórias", de Fernando Pessoa, no mercado egípcio, e "O crime do padre Amaro", de Eça de Queirós, editado em Israel.

No âmbito daqueles programas da DGLAB, o escritor moçambicano Mia Couto, Prémio Camões 2013, terá a obra "Vinte e Zinco" a sair em Itália e "Vozes anoitecidas" no Brasil.

O autor angolano Ondjaki, Prémio José Saramago 2013, contará com "Avó Dezanove e o Segredo do Soviético" em Itália e no Canadá.

Na Alemanha aguarda-se a tradução de "Myra", de Maria Velho da Costa.

No programa de apoio ao livro infantil e à banda desenhada foi incentivada a edição de, por exemplo, de "Quando eu nasci", de Isabel Minhós Martins, na Grécia, "Achimpa", de Catarina Sobral, em Itália e na Suécia, e "Circo de papel", de Virgílio Alberto Vieira, no Egito.

SS // CC

Lusa/fim