Exposição em Lisboa

Evoca vida e obra do arquitecto português Manuel José de Herigoyen

 

O arquitecto português Manuel José de Herigoyen (1746-1817) é evocado numa exposicão a inaugurar no Mosteiro dos Jerónimos a 18 de Outubro.

 A iniciativa é da responsabilidade do Círculo de Amigos de Herigoyen que tem como presidente, José Rodrigues dos Reis, destacada personalidade da comunidade lusa de Munique e grande entusiasta da obra e vida do arquitecto português que viveu em Munique Manuel José de Herigoyen nasceu a quatro de Novembro de 1746, em Belas, localidade do concelho de Sintra onde tem uma rua com o seu nome.

Em finais de 1773, começou a trablhar para o Conde Sickingen, mudando-se para Landstuhl (Palatinado), e não tardou a chamar a atenção, e a ser convidado por Carl Joseph von Euthal, princípe de Mainz, para seu arquitecto.

Em 1780, mudou-se para Mainz, onde concebeu um parque paisagístico, uma faisanaria e trabalhou na restauração do palácio de von Euthal.

Em 1794, tornou-se engenheiro-mor da Catedral de Mainz.

 

Dez anos depois, confiaram-lhe a construção do Teatro de Regensburg, e foi nomeado arquitecto do principado desta cidade alemã.

Em 1810, com a integração de Regensburg na Baviera, foi chamado a Munique pelo Rei Maximiliano I que lhe ofereceu o lugar de alto comissário das obras régias.

Entre as suas obras mais importantes na capital da Baviera, há cerca de 200 anos, incluem-se o Palácio Montgelas, hoje integrado no hotel de luxo Bayericher Hof, no centro de Munique.

 

Concebeu também o portal dórico, as estufas e outras zonas do velho jardim Botânico, e o Isartortheater, destruído na sequência da II Guerra Mundial.

 

Emanuel José de Herigoyen faleceu a 27 de Julho de 1817, e está sepultado no cemitério Munique-Sul.

Kommentar schreiben

Kommentare: 0